Dicas Úteis


Troca do óleo da caixa automática

Existem algumas pessoas que afirmam que, pelo fato do óleo da caixa automática não sofrer queima como o óleo do motor a combustão, ele não precisa de atenção e troca. Porém é válido lembrar que existem elementos dentro de um automóvel que mantém um contato direto com o câmbio (discos de fricção, por exemplo) e podem sofrer desgaste com o passar do tempo. Ainda há a possibilidade do próprio condutor do veículo utilizar o câmbio de forma equivocada ao que se é recomendado pelo fabricante. 

 
Existem algumas pessoas que afirmam que, pelo fato do óleo da caixa automática não sofrer queima como o óleo do motor a combustão, ele não precisa de atenção e troca. Porém é válido lembrar que existem elementos dentro de um automóvel que mantém um contato direto com o câmbio (discos de fricção, por exemplo) e podem sofrer desgaste com o passar do tempo. Ainda há a possibilidade do próprio condutor do veículo utilizar o câmbio de forma equivocada ao que se é recomendado pelo fabricante. 
O cambio automático tradicional possui elementos que, durante seu trabalho, liberam algumas partículas suspensas no óleo. Essa contaminação pode obstruir o filtro interno existente do câmbio, danificando o fluxo hidráulico do equipamento e ocasionando grandes danos ao veículo. O fluído de cambio ainda possui alguns componentes químicos com um determinado tempo de vida útil. Sua troca é fundamental para evitar futuros gastos por conta de um cambio estragado 
Willian Miara, técnico da Antoninho Pickups, conta sobre a função do óleo da caixa automática: “Além da lubrificação dos componentes, o óleo é responsável pelo resfriamento da caixa de comando das embreagens, além da conservação das peças”.
 
 
Atenção para a aparência do óleo! 
Quando o óleo está bom, ele possui uma aparência transparente e bem avermelhada. Existe a possibilidade de o óleo estar sujo, mas mesmo assim pode-se ver sua transparência: independente disso, ele deve ser trocado. “Quando o óleo está bem escuro (sujo), é sinal de contaminação e de que ele já perdeu suas propriedades lubrificantes”, afirma Willian. Os filtros internos então se entopem e o lubrificante não circula bem pela transmissão. O proprietário do veículo percebe, então, uma perda de rendimento do veículo, além de trepidações nas arrancadas e trocas de marchas. 
A troca do óleo da caixa automática é recomendada a cada 50mil km rodados. Willian ainda destaca: “Essa troca é uma questão de prevenção para a caixa automática do seu veículo”. Restaram dúvidas? Venha até a Antoninho Pickups que nós teremos o prazer em atendê-los.

 

Voltar